Juízes e assessores recebem treinamento para operar PJe em Cuiabá

Fonte / Autor: CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA
Publicado em 28/10/2015

Magistrados e servidores que trabalham nas cinco varas de Fazenda Pública de Cuiabá participaram, na manhã da última quinta-feira (22/10), de um treinamento sobre manusear o Processo Judicial Eletrônico (PJe). O curso, ministrado pela Coordenadoria de Tecnologia da Informação do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMS), foi realizado em parceria com a Escola dos Servidores.
 
Para o juiz Marcio Aparecido Guedes, da 2ª Vara de Fazenda Pública, a capacitação é de vital importância, já que o processo eletrônico é um caminho sem volta. “É uma ferramenta muito importante porque vai dar maior vazão aos processos, vai agilizar e dinamizar todo o trâmite processual”, disse o magistrado.
 
Ele ressaltou que o uso cada vez maior da tecnologia no meio judicial é uma realidade e não há como voltar atrás. “O processo físico está com os dias contados. Estamos em um momento em que a informática é uma ferramenta de suma importância e não há como o Judiciário não a usar. Não podemos retroceder”, avaliou.
 
O magistrado destacou a importância do PJe para a economia processual e para a entrega célere da prestação jurisdicional.
 
“Apenas nas cinco varas de Fazenda Pública de Cuiabá, tramitam hoje, aproximadamente, 40 mil processos. Imagine a economia de papel e tinta que teremos. Com certeza, a economia com insumos será grande. Além disso, lá na ponta o jurisdicionado vai ter uma prestação jurisdicional mais rápida, diferente do que acontece hoje”, reforçou.
 
A assessora de gabinete Cleice Maíra da Silva Adalberto gostou do curso e elogiou a dinâmica. “Achei muito importante participar de uma capacitação como essa, pois é uma oportunidade de tirar dúvidas e de ver como tudo funciona. O curso é bastante dinâmico e prático”, avaliou.
 
Cleice acredita que as pessoas ainda podem demorar um tempo para se ambientarem com os processos digitais, já que estão acostumadas com o papel. “Esse, porém, é o caminho correto. Na Justiça do Trabalho, no Tribunal de Contas, tudo já é eletrônico. É uma tendência. É bom para nós, tanto para o meio ambiente quanto para a economia da máquina pública”, observou.
 
Participação - O instrutor da TI Rosivaldo Rodrigues ressaltou a importância de todos, magistrados e servidores, conhecerem o sistema. “A capacitação é o momento de tirar dúvidas, falar das dificuldades e de dar sugestões. Estamos muito contentes com a participação de todos, que vieram aprender. Isso mostra o interesse pelo sistema”, disse.
 
A maioria da equipe que participou do treinamento já usava o PJe, porém em uma única classe, a de mandados de segurança.
 
“Agora, estamos com um novo fluxo que muda bastante a forma de trabalhar dentro do sistema”, disse o instrutor. Até então, o sistema estava sendo usado, nas varas cíveis, apenas para classe mandado de segurança. Agora será ampliado.
 
Para Rodrigues, o PJe não é mais um projeto, e sim uma realidade no Poder Judiciário de Mato Grosso. “É um caminho sem volta, não há como retroceder, ele já existe. Este ano é de preparação, de treinamento, de criação de fluxo, para que, no próximo ano, possamos entrar com a implantação de forma maciça do PJe”, adiantou.
 
As capacitações do público interno começaram no dia 21 de outubro, com os oficiais de justiça. Nesta segunda-feira (26/10) e terça-feira (27/10), das 8h às 18h, a capacitação será para a primeira turma dos servidores da secretaria de Fazenda Pública.
 
Na quarta-feira (28/10) e quinta-feira (29/10), será a vez da segunda turma de servidores também da secretaria, das 8h às 18h.
 
Para advogados - Para o público externo, as capacitações foram oferecidas nesta sexta-feira (23/10), das 8h às 12h, para advogados, e das 14h às 18h para membros do Ministério Público, Defensoria Pública e procuradorias estadual e municipal.